sexta-feira, 31 de julho de 2009

.
A grande Família
de La Rocque
.
Este blog destina-se a encontrar TODA a Família de La Rocque,, não só no Brasil como em Portugal, e tentar promover, um dia (quando?) um grande encontro entre todos... ou quase!
Confundem-se, em França os nomes La Rocque, La Roque e La Roche, e ainda os mesmos em que o artigo "La" se une ao substantivo, como Larocque, etc., que traduzidos significam "rocha", "penedo".
No século XVI, uma boa porção de La Rocques terá ido para o que é hoje o Canadá, levados por François de La Rocque, dito Senhor de Roberval. Podem consultar:
Nas primeiras expedições quase todos morreram, mas continuaram a ir, e há hoje por lá muita gente com este patronímico.
Os La Rocque do Brasil e de Portugal são todos descendentes de Jean Louis de La Rocque e de Rosa Albertina Teixeira de Mello.
A maioria dos dados que vão ser aqui inseridos foram tirados do livro "Entrelaços de Famílias" de Henrique Arthur de Souza, que se debruçou mais detalhadamente no ramo de um dos filhos: Henrique de La Rocque; outros serão de minha memória.
A minha ascendência é de um irmão deste, Luis.
Um pouco, só um pouco, de história.
Jean Louis, parece ter sido o único filho de Luiza de La Rocque e Antoine Covard, os três nascido em San Martin de La Rocque, na Normandia, França. Terão fugido da revolução francesa, sobretudo da guerra da Vendeia, começada em 1793, quando os nobres e os agricultores do Oeste da França se rebelaram contra os novos governantes, revolucionários, tendo sido os de La Rochejaquelin os grande heróis desta guerra. É bem possível, e era isso que, genericamente, a minha avó (1870-1953) contava. (Ler "Quatrevingt trois" de Victor Hugo)
Há quatro pequenos lugares na Baixa Normandia com o nome de La Rocque, todos entre Caen e Saint Lo: La Rocque, sem outra referência; La Roque (sem o "c"), 14220 Hamars, Calvados; La Roque, 14830 Sainte-Marie-Outre-l'Eau; e La Rocque, 50210 Notre-Dame-de-Cenilly, este, perto de Saint Martin de Cenilly. Todos estes lugares não parecem mais que um aglomerado de três ou quatro casas de agricultores.
De França foram para Portugal e estabeleceram-se no Porto, onde Jean Louis casou com Rosa Albertina Teixeira de Mello, filha do Governador do castelo de Matozinhos, António Teixeira de Mello e sua mulher Anna Pertpetua de Barros, natural do Rio de Janeiro.
Apesar do pai ter o sobrenome Covard, não se conhece a razão porque o filho não adotou o seu sobrenome.
Tiveram nove filhos, todos nascidos no Porrto, Portugal:
1.- Carolina Augusta (1812-1893), casou com João Ferreira dos Santos Silva, que foi o 1° Barão de Santos;
2.- Henrique de La Rocque (1817-1899);
3.- Guilherme de La Rocque (não se conhecem datas, a não ser da sua chegada ao Brasil, São Luis do Maranhão, em 1836);
4.- João Luiz de La Rocque (chegou ao Brasil em 1830);
5.- Luiz de La Rocque (chegou ao Brasil, São Luis, em 1834)
6.- Rosa Amélia de La Rocque;
7.- António de La Rocque.
Os quatro primeiros, que vieram para o Brasil intitulavam-se franceses, pelo menos nas declarações que prestaram à chegada a São Luis do Maranhão.
(continua)

3 comentários:

  1. Me chamo Guilherme de La Rocque (somente), filho de Sergio Alex Mesquita de La Rocque e Leonor Figueiredo de La Rocque. Sou neto de Guilherme de La Rocque e Dorací Mesquita de La Rocque. Sou casado com Nahime Sassim Dahás de La Rocque, tenho dois filhos, Guilherme Dahás de La Rocque de 07 anos e George Henrique Dahás de La Rocque de 45 dias.

    ResponderExcluir
  2. me chamo hayla e gostaria de saber se tem alguem com familiares com o nome..jorge laroque,ailton laroque,minga (apelido)laroque,neder laroque,ana laroque (vó),neuza laroque..o meu sogro procura parentes e estou ajudando a procurar..desde ja agradeço !

    ResponderExcluir
  3. Olá! Me chamo Rebecka La Roque, e estou procurando saber mais sobre a minha familía, você poderia me ajudar?

    ResponderExcluir